setembro 06, 2011

Quando Cai o Raio, Meg Cabot

Título: Quando Cai o Raio
Título original: When The Lightning Strikes
Autor(a): Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 270
Classificação: 
Onde comprar: Compare preços

Mandaram que eu escrevesse um relato, em primeira pessoa, sobre o que aconteceu comigo, falando toda a verdade e nada mais do que a verdade. Então tá. O que aconteceu comigo: fui atingida por um raio. Tudo culpa da Ruth, que resolveu que queria voltar da escola andando, para queimar uns quilinhos… Acabou que eu é quem fui queimada. Ninguém acreditou em mim, nem eu mesma, pra ser sincera. Eu não estava me sentindo mal, não tinha nenhuma marca ou machucado… Nem estava chamuscada! Mas logo as coisas começaram a mudar. Quando acordei no dia seguinte, de alguma forma sabia onde estavam as duas crianças cujas fotos estampavam a caixa de leite, aquelas do Disque-Desaparecidos, sabe? Pois é. Eu tinha certeza absoluta sobre onde elas estavam. O problema é que eu achava que estava fazendo uma coisa boa! Liguei para o Disque-Desaparecidos e avisei à simpática senhorinha onde estavam essas duas crianças, e depois mais outras… Até que dois não-tão-simpáticos agentes federais apareceram na minha escola para conversar comigo. Até parece! Agora sou foragida da justiça, tenho que ajudar um dos meninos que foram encontrados e ainda preciso disfarçar o quanto o motoqueiro da sala de detenção mexe comigo… Ainda bem que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar… Certo?
Esse foi o meu primeiro livro da Meg Cabot e a impressão que eu tive dos livros dela é que eles são simplesmente perfeitos. A capa, os títulos, a história, narrativa, personagens... tudo per-fei-to! Então, pelo jeito, acho que vou ser sempre suspeita pra falar dos livros e autores que gosto aqui. Outro detalhe é que, não sei falar sobre algo sem soltar alguns spoilers, então, talvez essa resenha contenha spoiler. Mas eu não ligo muito pra spoiler de livro, exceeeeto quando contam tipo, o final do livro, uma parte tensa que não deveria ter contado, o desfecho de um problema... essas coisas. Mas podem ficar tranquilos que eu vou tomar cuidado.

Quem narra o livro é Jess, a colegial baixinha e pavio-curto doidinha pra meter a mão na cara de quem zoar  seu irmão ou sua melhor amiga, Ruth. O livro é a declaração da Jess, que por motivos spoileristas (inventei legal!), não vou contar porque é uma declaração e etc. Haha! Leiam e descubram. Enfim, no final do primeiro dia que ela relata, a Ruth resolve voltar a pé pra casa, mesmo morando 3km de distância da escola e o tempo estar com a maior cara de temporal! Rob (motoqueiro gato da detenção) até oferece uma carona em sua moto pra Jess, e mesmo ela estando louca por dentro pra ir com ele, resolver despensá-lo pra fazer companhia à sua amiga, que reprova completamente a ideia de Jess ir com ele por ser um caipira (os habitantes de Indiana são divididos em caipiras e urbanos, bom, pelo menos no livro!). No caminho de volta pra casa, elas são surpreendidas pela tempestade que estavam suspeitando a chegada, e foram refugiar-se debaixo da arquibancada do campo da escola, mesmo ela sendo de metal e Ruth e Jess tendo consciência de que em uma tempestade com raios e trovões, o último lugar pra se refugiar é debaixo de algo de metal. E foi nessa hora que... Jess é atingida por um raio! Normalmente, depois de atingidas por um raio, as pessoas se sentem bem e do nada, boom, morrem de ataque cardíaco. Mas isso não aconteceu com Jess. Aliás, há sempre um ferimento de entrada e um de saída, porém Jess só contém o de entrada. A história só vai ficar mais estranha ainda quando no dia seguinte, ao tomar o café da manhã, Jess simplesmente sabia onde as pessoas da foto do Disque-Desaparecidos da caixa de leite estavam.

Esse foi só o resumo do primeiro capítulo, muito legal, né?! Posso dizer que daí em diante a estória só fica melhor! O enredo é cativante, a narrativa da Jess não é nem um pouco cansativa e posso dizer que adorei as ceninhas Jess-Rob, e a frustação dela! (haha). Sem contar que a história da Meg é super criativa! 

O que falar sobre os personagens? Minha amiga pegou meu livro pra ler e assimilou a Ruth comigo e a Jess com ela (por motivos que prefiro não deixá-los claros aqui :P), mas somos meio que uma mistura das personagens. Se quiserem ignorar meu comentário, tudo bem, vocês não nos conhece mesmo. Enfim, a Jess é durona, adoro personagens assim! A Ruth é a patricinha bobona-porém-inteligente, mas ela não é tão patricinha assim, pelo que diz Jess. O Rob eu adorei (imaginei um personagem muito bonito, com camisetas de rock perfeitas e jaqueta de couro [embora não ter nada disso na estória]) e ponto final (se bem que ele foi meio bobo também mas eu não ligo, ignorarei o fato). O Sean (menino que ela "salva") tinha só 12 anos, mas eu adorei ele chamando a Jess de burra e etc. Apesar de ter 12 anos ele não era bobinho, inteligente até. Dos irmãos da Jess, o Mike foi legal pelas tiradas e etc, fora isso, é o nerd anti-social que baba pela garota que não liga pra ele. 

Adorei o livro, e tenho certeza que vocês irão gostar também, então, LEIAM, enquanto eu espero ansiosamente a estreia do segundo livro aqui no Brasil (nos EUA já foram lançados todos, e tem até ediçãozinha nova, agrupando os livros)...

P.S.: Pra quem achou que a resenha ia ser minúscula, saiu uma bíblia.

3 comentários:

Thatah disse...

Eu adoro a Meg! Se voce ainda nao leu, deveria ler a serie O Diario da princesa <3 (os meus preferidos dela)
Ja li esse livro ha bastante tempo, e só de voce falar ja me da vontade de lê-lo de novo!

Djéssica disse...

Nunca li nenhum livro dessa autora. Gostei da resenha. Me deixou com vontade de ler xD
Me identifiquei com a Jess por causa da descrição xD (Sempre fazem brincadeiras comigo por eu ser baixinha u.u)

Maccky disse...

Nunca fui muito de ler Meg, mas tenho curiosidade sobre esta serie. PArece ser bacana. :D
Espero poder ler algum dia. Adorei a resenha.

Postar um comentário

Oi! Comente o que realmente achou do post, fico muito feliz com comentários!