setembro 15, 2011

Pão-de-Mel, Rachel Cohn

Título: Pão-de-Mel
Título original: Gingerbread
Autor(a):  Rachel Cohn
Número de páginas: 224
Editora: Galera Record
Classificação: 
Onde comprar: Compare preços

Depois de ser expulsa do colégio interno, a selvagem, obstinada e viciada em café Cyd Charisse volta a São Francisco para viver com a mãe e o padrasto. Mas para ela, não há como sobreviver neste lar imaculado: Cyd quer ser livre, e não se importa em quebrar as regras. Mas quando sua rebeldia sai do controle, seus pais a despacham para Nova York para passar o verão com seu pai biológico, Frank. O que ela não esperava era que o verão na cidade não corresse como ela planejara - e Cyd está longe de ser o que a nova família imaginava. 
Em primeiro lugar, me apaixonei por essa capa. Essa e a do resto da série (Siri #2 e Cupcake #3), são lindas demais!

A narrativa da Cyd é levinha e boa de se ler, por isso li rapidinho! Algumas narrativas são tão cansativas de ler que demoro séculos pra terminar, mesmo o livro sendo ótimo (oi Mochileiros). O começo do livro é bem confuso, pois Cyd vai falando sobre personagens e mais personagens da trama e não explica muito bem quem são, mas ao desenrolar do livro você vai entendendo quem é quem.

O livro conta a história de Cyd Charisse (nome inspirado numa dançarina famosa, embora ela seja completamente oposta à ideia de ser dançarina), uma garota rebelde que já passou por muitos problemas em sua adolescência, os quais não contou pra muitas pessoas, além de seu ex-namorado Justin que conhecera no colégio interno. Dos dilemas de Cyd para ser aceita por Justin, creio que várias meninas por aí vão se identificar com ela por já terem feito o mesmo. Pão-de-Mel é o nome da bonequinha de Cyd carrega consigo desde que ganhou de seu pai biológico quando o viu pela primeira vez. A boneca é uma personagem constante do livro, e apesar de ser apenas uma boneca, ela é a melhor amiga de Cyd. 

O relacionamento de Cyd com Siri, o novo namorado-gato-surfista que Cyd se envolveu quando voltou do colégio interno para São Francisco, é bem sem sal. Não gostei e pronto, o que me leva às expectativas de tudo melhorar no segundo livro da série, que no caso eu ainda não tenho. 
Apesar de Cyd Charisse ser a adolescente rebelde, 'arruaceira em recuperação' como o padrasto a chama, mal conseguia imaginá-la usando aquelas botas plataformas pretas e minissaia com meia-calça preta. Cyd é uma fofa, adorável, e assim como ela mesma diz, não é mimada, e sim incompreendida. Eu a adorei.

Resumindo, o livro trata de assuntos da adolescência e de um jeito adorável, numa naturalidade que Rachel nos passa. 

5 comentários:

Evellyn disse...

HAuhau
Eu tenho esse livro aqui em algum lugar! rs Mas nem tenho previsão de leitura!
Poxa que pena que vc não gostou do Siri.. mas acho que no proximo ele é mais fundamental, afinal, tem o nome dele!
Ela é o tipo que se veste de uma forma e age de outra, parece interessante!
Adoro livros que falam dessa epoca da vida!!

bjs
Hey Evellyn!

Thatah disse...

essas capas são perfeitas *---* não gostei mt do Siri tbm, digamos que nao simpatizei/me apaixonei por ele HAHAHA gostei bastante mas a série fica bem melhor. Já deu vontade de reler <3

Ana Caroline disse...

ameii a resenha esta otima

Djéssica disse...

Gostei da resenha. O livro parece ser bom, mas não me atraiu muito... Não sei bem o motivo. Mas sei la né, talvez com o tempo acabe mudando de opinião e lendo ele ^^

Maccky disse...

Gostei da resenha, fiquei mais curiosa do que ja estava para conferir este livro da autora. ^^

Postar um comentário

Oi! Comente o que realmente achou do post, fico muito feliz com comentários!