maio 12, 2012

Mistureba - Homestuck

 ㅤㅤJá que vocês vão ter de me aturar com uma regular frequência por aqui, há algumas coisas sobre mim que sinto que precisam saber para que esse relacionamento funcione (he-he!). Primeiro de tudo: eu sou uma pessoa que não consegue apenas gostar de alguma coisa; ou eu não gosto dessa coisa, ou eu amo com todas as forças, surto, escrevo/leio fanfics, faço fanarts, assisto fanvids, e etc. Segundo, e não menos perturbador, eu tenho essa enorme necessidade de fazer todo mundo que conheço gostar das mesmas coisas que eu. É só eu ficar obcecada com alguma coisa que, um dia depois, já estarei enchendo suas caixas de mensagens com "hey, você já viu/leu isso? peloamordeDeusveja/leia".
 ㅤㅤEnfim. Há algum tempo venho enchendo o saco de todos com uma webcomic chamada Homestuck. Que diabos é isso?, você deve estar se perguntando (ou não). Bem, a coisa toda é meio complicada de se explicar, mas prometo que vou tentar fazer meu melhor. Sem mais delongas, deixe-me te falar sobre Homestuck.


 ㅤㅤIniciada no dia 13 de abril de 2009, e sendo atualizada desde então, Homestuck é uma webcomic interativa criada por Andrew Hussie, dono do site MS Paint Adventures (MSPA). Além da webcomic em questão, o site também conta mais três histórias aparentemente independentes (Problem Sleuth, Bard Quest, e Jailbreak), sendo Homestuck a que mais se destaca em termos de arte gráfica, animações em flash, música, e fanbase.
 ㅤㅤA trama se inicia com nosso herói, John Egbert, um menino de 13 anos de óculos, ligeiramente dentuço, e com um gosto peculiar para filmes. Aos poucos, somos introduzidos à rotina de John, e muitos podem até dizer que essa é a parte mais entediante de toda a webcomic. E estarão certos. Realmente demora um pouco até você pegar o ritmo da história, que te introduz à uma enxurrada de palavras estranhas logo de cara. (Lembro que fiquei louca com o tal do Captchalogue Deck até me acostumar com a linguagem de Homestuck). Mas não desanime por aqui! Até porque, nesse ponto a história mal começou, de fato.

 ㅤㅤA aventura se desenrola a partir do momento que John recebe uma cópia beta do Sburb, um jogo que altera a realidade dos jogadores e que, no andar da carruagem, acaba acarretando o fim do mundo. Unem-se à ele seus melhores amigos virtuais: Rose Lalonde, Dave Strider e Jade Harley, cada qual com suas características únicas e marcantes, tanto em suas personalidades quanto em suas escritas. Acho muito legal como, depois de um certo tempo, você pode dizer quem é quem apenas por sua forma de escrever.



 ㅤㅤLogo após John instalar sua cópia, somos introduzidos as demais crianças aos poucos, acompanhando suas corridas contra o tempo para adentrar ao jogo, a medida que as conhecemos e nos familiarizamos mais com cada uma. Apesar de ter um ritmo meio devagar, essa parte de introdução é muito importante para não ficarmos confusos demais com o tanto de personagens que entram na história mais à frente. E quando eu digo "tanto" aqui, é realmente um tantão.

 ㅤㅤEm suma, é basicamente isso. Confesso que escrevi e reescrevi cerca de uns cinco parágrafos tentando resumir o plot, mas como eu disse lá no começo: a coisa toda é meio complicada de explicar. Como já dizia um sábio Boromir de algum universo paralelo: one does not simply explain Homestuck. Não me arrisco a falar qualquer coisa a mais porque creio que estaria contando spoilers, e eu odiaria arruinar a experiência de um futuro leitor revelando demais sobre a trama.

 ㅤㅤUma última coisa que gostaria de mencionar, por fim, e é provavelmente uma das coisas que mais me chamou atenção quando comecei a ler Homestuck, foi a trilha sonora. Composta em sua grande maioria por fãs, as faixas são bem diversificadas, indo do eletrônico com vibe de video-game antigo (x), até ao épico, com direito a elaborados arranjos instrumentais e percussão dramática (x). Na webcomic, as músicas aparecem sempre acompanhadas de animações em flash ou jogos interativos, que são minhas partes favoritas. Eu até poderia citar o nome de algumas de minhas faixas preferidas, mas como foi comprovado cientificamente (mas não realmente) que post grande ninguém lê, acho melhor eu tentar parar por aqui.

 ㅤㅤSe estiver interessado em ler, a aventura começa ==> aqui. Apesar de ser toda em inglês, recomendo mesmo para quem não é assim tão fera no idioma. É uma forma de praticar, afinal de contas. Se não entendeu alguma coisa, procura no dicionário e seja feliz como eu (já aprendi várias palavras novas lendo Homestuck, mãe. Juro!). Maaas, se inglês realmente não é seu forte, já existem almas bondosas que estão traduzindo a webcomic aqui. Eu, particularmente, recomendo a versão original, já que existem algumas piadas e trocadilhos que acho que só funcionam bem em inglês. Mas isso fica a critério de vocês! :D

 ㅤㅤJá leram Homestuck? Vão ler Homestuck? Acham que a Sabrina deveria parar de dizer Homestuck? Comentem aí e me deixem saber. E se começarem a ler, sintam-se intimados a serem meus amigos. (Juro que nem sempre sou creepy assim. *risos*)

 ㅤㅤBeijos, e até o próximo post!

5 comentários:

territoriodascompradorasdelivro disse...

Oi,tudo bom? É um prazer voltar a comentar aqui no blog.
Muito legal o post, eu não conhecia nadinha de nada que você falou e achei o post totalemtne diferente.
Território das garotas
@territoriodg
Bjss *-*
Passa lá no blog?
http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com/

Luíza disse...

Eu comecei a ler Homestuck, mas parei na parte que você falou que era chatinha mesmo. Mas como eu sou meio suspeita, (aquela que quase desistiu de ver Doctor Who no primeiro episódio) vou tentar ler o resto da história quando tiver uma folguinha da faculdade. Tudo que a Sabrina indica é quality stuff!! *o*
Obs: Quero muito saber quem aquele de óculos escuros. :p

Sabrina Diniz disse...

LUÍZAAA, VOCÊ COMEÇOU A LER <3333 Sim! Homestuck é o mesmo princípio de Doctor Who: continua porque vai ficando melhor progressivamente hahaha Até a parte do wibbly-wobbly-timey-wimey (principalmente isso). Mas não desiste mesmo não, ok? E se o de óculos escuros for quem eu acho que é, então ele é meu favorito *-*

Djéssica disse...

Nunca li, nem tinha ouvido falar, mas parece ser muito legal xD Também sou do tipo que depois que gosta de algo fica enchendo o saco dos outros pra gostarem também rsrsrs
Vou conferir pra ver se gosto também ^^

Thatah disse...

eu tbm sou assim! quando amo uma coisa saio dizendo pra todo mundo pra eles amarem tbm HAHAHA parece uma historia mt louca

Postar um comentário

Oi! Comente o que realmente achou do post, fico muito feliz com comentários!